Wozniak: o valor inestimável dos bons professores

  • Imprimir

Por Ethevaldo Siqueira

Volto a um tema que me parece dos mais relevantes na Educação no Brasil: a necessidade de bons professores. E relembro uma palestra de Steve Wozniak a que assisti em 2007. Um dos fundadores da Apple, padrão de racionalidade e criatividade tecnológica, Wozniak relembrou na palestra que Steve Jobs, seu companheiro na faculdade e na criação do primeiro computador pessoal de sucesso, era outro tipo bem diferente de personalidade: sonhador, emocional, apaixonado e voluntarioso.

steve woz

Como quase todos sabem, ambos, ainda muito jovens, fabricaram numa garagem e lançaram o Apple I, um computador pessoal, com recursos muito limitados, que fez muito pouco sucesso. Graças à determinação de Wozniak, essa primeira máquina foi reprojetada e largamente aperfeiçoada, para dar origem ao Apple II, que foi um sucesso estrondoso e consolidou a existência da nova empresa.

Não vou contar aqui a história da Apple, mas apenas relembrar alguns trechos da palestra de Steve Wozniak e a primeira entrevista que ele me concedeu, há 13 anos, em fevereiro de 2007, em New Orleans, durante o evento SolidWorks 2007. A cidade, naqueles dias, ainda tinha marcas chocantes da tragédia do furacão Katrina.

Em sua palestra e na entrevista que me concedeu, a mensagem central de Steve Wozniak era focalizada sobre a importância dos bons professores na vida humana. Ao final de nosso diálogo, o grande inovador me ofereceu um exemplar de seu livro: iWOZ, que foi lançado no Brasil pela Editora Évora, São Paulo, com o título de “iWOZ, a Verdadeira história da Apple segundo seu cofundador” — para o qual escrevi a apresentação da edição brasileira, em 2007.

O PAI E OS PROFESSORES

Na palestra e na entrevista, Steve Wozniak deixou muito claro quais eram as raízes de sua vocação como inovador no mundo dos computadores:

“A origem de tudo que fiz na vida foi a paixão pela tecnologia que meu pai me transmitiu desde cedo e, mais tarde, foi estimulada e consolidada por meus melhores professores” — disse Steve Wozniak.

Fiz a foto que ilustra este post, durante a palestra de mais de uma hora, em que Wozniak encantou uma plateia de 3.500 especialistas, contando com graça e espontaneidade sua experiência, relembrando “como inventou o computador pessoal, ajudou a fundar a Apple e ainda se divertiu muito com tudo isso”.

Para o cofundador da Apple, “são os bons mestres e as boas escolas que fazem o progresso humano, que transformam crianças inteligentes em gênios, em líderes e benfeitores da humanidade”

Nunca duvidei do poder da educação e, em especial, da importância dos bons professores para a humanidade. Contudo, Steve Wozniak reforçou ainda mais minha gratidão pelos maravilhosos professores que tive, em minha infância e na juventude.

Para concluir tenho três perguntas que não querem calar.

— Por que essa malta de políticos pilantras que nos governa não entende essa verdade tão cristalina — que pode parecer truísmo ou obviedade? Sempre me pergunto: por que não investimos muito mais em educação e na formação de bons professores?

— Por que, há mais de 50 anos, os professores do ensino público brasileiro, em sua maioria, ganham uma miséria (menos de 10% do que ganha um deputado federal), obrigados a trabalhar em escolas pobres, desconfortáveis, com currículos inventados por burocratas medíocres, baseados em modelos do passado, em condições tão desestimulantes que acabam por expulsar os melhores mestres?

— Que futuro podemos esperar de nossas crianças e dos jovens com essa situação?

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado