Brasil é 54° país em governo digital, e o 4º com mais internautas

27/07/2020 - Ranking da ONU com 194 nações pela primeira vez inclui o Brasil, entre aquelas de maior índice de desenvolvimento em e-gov. País é 20° em oferta de serviços públicos online e apresenta avanço na transformação digital.

O ano de 2020 testemunhou uma mudança radical no desenvolvimento global, quando o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, incentivou os Estados-Membros e outras partes interessadas a “darem início a uma década de ações para as pessoas e o planeta”, dado o pouco tempo que resta para alcançar a Agenda para o Desenvolvimento Sustentável em 2030.

Ranking da ONU com 194 nações pela primeira vez inclui o Brasil, entre aquelas de maior índice de desenvolvimento em e-gov. País é 20° em oferta de serviços públicos online e apresenta avanço na transformação digital

Ao pesquisar e estudar padrões amplos de governo digital em todo o mundo, a Pesquisa de Governo Eletrônico das Nações Unidas avalia o desenvolvimento do governo digital dos 193 Estados Membros das Nações Unidas na identificação de seus pontos fortes, desafios e oportunidades, além de informar políticas e estratégias.

Desde a sua criação, em 2001, pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, a Pesquisa tornou-se uma ferramenta indispensável de classificação, mapeamento e medição de desenvolvimento para ministros do setor digital, formuladores de políticas e analistas que se aprofundam em análises comparativas e pesquisas contemporâneas sobre governo eletrônico. O lançamento desta pesquisa também está ocorrendo durante um período sem precedentes da pandemia do COVID-19.

Embora a pandemia tenha revigorado o papel do governo eletrônico, tanto na prestação convencional de serviços digitais, quanto em novos esforços inovadores para gerenciar a crise, também trouxe à tona desafios e várias formas de divisão digital, especialmente entre os mais pobres e os grupos mais vulneráveis.

O Brasil é 54° país em governo digital, mas o 4º com mais internautas

Segundo a ONU, “o Brasil priorizou a transformação digital do governo e da economia. A Estratégia de Governança Digital do país está por trás da transformação digital do setor público, enquanto a Estratégia de Transformação Digital (E-Digital) lida com a transformação da economia. O país também estabeleceu políticas para inclusão e participação digital por meio de consultas regulares com indivíduos e sociedade civil e melhorou o acesso a dados e informações públicas”.

Nona economia do planeta, quarto país com mais internautas conectados à internet, o Brasil é o 54° no ranking da Organização das Nações Unidas na Pesquisa sobre Governo Eletrônico 2020. Embora longe do topo, a maior oferta de serviços públicos pela internet fez o país avançar e ser incluído pela primeira vez no grupo de alto índice de desenvolvimento em e-gov (ou EDGI).

O índice EDGI é composto por três indicadores que capturam o escopo e a qualidade dos serviços online, o status da infraestrutura de telecomunicações e a capacidade humana disponível. Por esses critérios, Dinamarca, Coreia do Sul, Estônia, Finlândia, Austrália, Suécia, Reino Unido, Nova Zelândia, Estados Unidos, Holanda, Cingapura, Islândia, Noruega e Japão formam a elite global do e-gov.

No quesito serviços online, o Brasil é o 20° do ranking, tendo subido duas posições desde o levantamento anterior, em 2018. Além disso, o documento menciona que “treze países (Albânia, Argentina, Brasil, Colômbia, Croácia, Equador, Cazaquistão, México, Omã, Peru, Sérvia, Tailândia e Turquia) têm capital humano altamente desenvolvido, mas o estado de suas infraestruturas podem estar dificultando maiores progressos no desenvolvimento do governo eletrônico”.

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton