Com boicote a Facebook, Mark Zuckerberg perde US$ 7,5 bilhões

Por Thais Sogayar, com Financial Times
29/06/2020 - Ações do Facebook desabam na bolsa eletrônica americana Nasdaq, em meio a campanha global de boicote de patrocinadores.

Empresas como Honda, Unilever, Coca-Cola e a Starbucks aderiam ao movimento “Stop Hate For Profit” (pare de dar lucro ao ódio, em tradução livre), que pede maior rigor do Facebook contra mensagens de ódio.

Mensagens postadas em apoio ao movimento Black Lives Matter em uma loja Starbucks / Crédito: © AP / FT

Esse desempenho do Facebook no mercado acionário mostra a reação negativa dos investidores a um movimento de boicote de diversos patrocinadores à companhia. O movimento Stop Hate For Profit (pare de dar lucro ao ódio, em tradução livre) que pede que as empresas se solidarizem com os valores americanos de liberdade, igualdade e justiça e deixem de anunciar no Facebook durante o mês de julho.

Mark Zuckerberg, executivo-chefe do Facebook, anunciou na sexta-feira, 26, planos para proibir o discurso de ódio em anúncios e proteger melhor grupos como imigrantes, de ataques na rede social. Ele também disse que o grupo rotularia posts que violam suas políticas, mas permaneceria publicado porque a plataforma o considerou "de interesse público", citando um discurso de políticos como exemplo.

As mudanças de última hora ocorreram apenas algumas horas depois que a Unilever, entre os maiores clientes de primeira linha do Facebook, anunciou que interromperia os gastos na plataforma - e também no Twitter - nos EUA, citando preocupações sobre a proliferação de conteúdo de ódio até a eleição presidencial de 2020.

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton