Esses robôs estão na linha de frente para ajudar a combater o coronavírus

Por Thais Sogayar, com The Guardian
30/06/2020 - Os autômatos vêm se destacando no esforço de vencer a Covid-19, que inclui desde a desinfecção de hospitais até a entrega de mantimentos

Boston Dynamics

Os frequentadores de parques de Cingapura recebem lembranças de suas obrigações de distanciamento social pelo "cachorro" amarelo do Boston Dynamics. O cão-robô está equipado com inúmeras câmeras e sensores, que podem ser usados ​​para detectar transgressores e transmitir avisos pré-gravados. As autoridades garantiram aos moradores que não se trata de um dispositivo de coleta de dados.

Esse robô da empresa Boston Dynamics está sendo usado para reforçar o distanciamento social nos parques de Cingapura e também para entregar medicamentos / Crédito: Edgar Su / Reuters

Starship Technologies

Em Milton Keynes, uma cidade situada a cerca de 70 km a noroeste de Londres, uma frota recentemente expandida de robôs de seis rodas está entregando comida e pequenas remessas de compras de supermercado para moradores. A grande rede de ciclovias da cidade a torna ideal para as máquinas, que rodam a uma velocidade máxima de 4 km/h. A empresa renunciou à sua taxa de entrega para os trabalhadores do NHS, o serviço nacional de saúde britânico durante a crise.

Robôs UVD

Esses robôs dinamarqueses de desinfecção UV estão sendo implementados em hospitais chineses. As máquinas implantam poderosas luzes UV, que destroem o DNA ou o RNA de qualquer microorganismo ao alcance. Esse efeito da radiação UV é bem conhecido, mas seu uso é perigoso quando os seres humanos estiverem próximos. No entanto, os robôs são capazes de aprender o protocolo dos hospitais e realizar seu trabalho de forma autônoma, quando a equipe médica não está presente.

Zora Bots

A ONU equipou Ruanda com cinco robôs antiepidêmicos fabricados pela empresa belga Zora Bots, para ajudar na batalha do país contra o coronavírus. Os robôs podem rastrear a temperatura de um paciente, identificar pessoas que não usam máscaras e monitorar anormalidades, na forma como os pacientes soam ou apresentam algum sintoma importante. Eles também podem ser usados ​​para fornecer remédios e outros itens essenciais aos infectados.

OhmniLabs

 

Esses robôs substituíram os alunos em uma cerimônia de graduação, em Tóquio / Crédito: Universidade Bbt / Reuters

 

No Japão, os robôs Newme, da OhmniLabs foram usados ​​para substituir estudantes em quarentena, que não poderiam participar de suas cerimônias de graduação. Os robôs de "telepresença", que usavam um tablet na cabeça, estavam envoltos em um vestido acadêmico e cada aluno fez uma chamada de Zoom para "receber" seu diploma de um funcionário da universidade. Uma cerimônia semelhante, usando robôs construídos por estudantes, foi realizada em Nanjing, China.

Saiba mais aqui:

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton