Jorge Paulo Lemann avalia o futuro e os desafios da saúde

Por Thais Sogayar
31/01/2020 - Com um jeito simples e carismático, o carioca Jorge Paulo Lemann participou do Hackmed Conference & Health Hackathon nessa sexta-feira, 31 em São Paulo, e falou sobre empreendedorismo, liderança e inovação com foco na área de saúde com Deborah Aves, formada em Harvard e Cofundadora de Cuidas.

O fundador da 3G Capital e da AB InBev é a segunda pessoa mais rica do Brasil, atrás apenas do banqueiro Joseph Safra, de acordo com a lista da Forbes de novembro de 2019. Com uma fortuna estimada em US$ 22,4 bilhões, Lemann é também o 35º maior bilionário do mundo.

Aos 80 anos, com os sócios inseparáveis Marcel Telles e Beto Sicupira, ele é reconhecido não apenas como um empresário de sucesso, mas também como um personagem que revolucionou o capitalismo brasileiro e virou um gigante global, dono de empresas como a AB Inbev e a Kraft Heinz.

Não basta mais “apenas” produzir eficientemente, ter os melhores produtos, os melhores profissionais, com preços competitivos. É necessário mudar toda a cultura das organizações para melhorar a experiência do consumidor, ressaltou Jorge Paulo Lemann, durante o Hackmed Conference & Health Hackathon, realizado em São Paulo

Lemann atribui parte de seu sucesso o fato de ter sido “extremamente dedicado a escolher gente boa para trabalhar.” Metas muito claras, disciplina na logística, na produção, e na qualidade de produção, foram pontos que ressaltou como sendo essenciais para o sucesso de sua carreira como empreendedor.

Mas ultimamente, o mercado mudou e o consumidor tornou-se mais poderoso. Não basta mais “apenas” produzir eficientemente, ter os melhores produtos, os melhores profissionais, com preços competitivos. "É necessário mudar toda a cultura das organizações para melhorar a experiência do consumidor," avalia o empresário.

O mundo digital trouxe muitas alternativas e Lemann percebeu que já não basta mais produzir bem e barato, o importante nesse momento é entender o que o consumidor deseja. É fundamental portanto, se adaptar rapidamente. "Novas tecnologias tiveram um avanço enorme em todas as áreas, acelerando o processo de mudanças, então estar atualizado e aberto para inovações é essencial," completou Lemann.

Se não houver investimentos pesados com o objetivo de melhorar a qualidade da educação no Brasil, será difícil o país evoluir. “E sempre que me perguntam o que fazer, a resposta é investir em educação”, finaliza Lemann / Crédito: Ivan Cruz

 

Mercado da saúde no Brasil

Segundo o empresário, saúde e novas tecnologias são um dos setores mais interessantes para se investir globalmente. Os investimentos que os americanos têm feito na área da saúde são enormes, e ainda é um dos que mais tem demanda para crescer, "mas aqui no Brasil estamos defasados", explica Lemann.

No Brasil, Lemann é investidor do Dr Consulta, com o objetivo de dar acesso a consultas e exames para uma população de baixa renda.

Educação é a saída

Como o empresário acredita que boa parte do sucesso de seus investimentos tem a ver com educação, há cerca de 40 anos a Fundação Lemann disponibiliza bolsas de estudos para descobrir talentos e ajudar quem deseja empreender.

“Nos últimos anos, passei também a oferecer bolsas a quem quisesse estudar governança, porque avaliei que o Brasil já estava bem servido de empreendedores, mas precisava de gente boa no setor público," disse Lemann.

A medicina no Brasil pode ser uma referência mundial em termos de inovação?

O Brasil oferece oportunidades em qualquer área, várias possibilidades de fazer melhor, inovar, mas segundo o empresário, estamos defasados em relação ao mundo e nessas últimas décadas a situação se agravou. O restante do mundo melhorou muito, se desenvolveu em termos básicos como na educação, e na área médica por exemplo.

"Mas o problema é que a nossa economia não cresceu tanto quanto se esperava e quando isso acontece, você vai ficando para trás", lamenta o empresário.

Mas Lemann continua otimista, acreditando que “ainda existem muitas oportunidades e que tudo acaba em educação.” Se não houver investimentos pesados com o objetivo de melhorar a qualidade da educação no Brasil, se não tivermos mais igualdade de oportunidades, será difícil o país evoluir. “E sempre que me perguntam o que fazer, a resposta é investir em educação”, finaliza Lemann.

Desafios da medicina

O empresário levantou alguns desafios que a área de saúde terá que enfrentar:

- É essencial ter cada vez mais médicos qualificados, haver investimentos em pesquisas, aumentar e "espalhar" os Centros de Excelência do país, para democratizar o serviço à população.

- Com o uso da Inteligência Artificial e do Machine Learning (Aprendizado de Máquina), a quantidade de dados que serão disponibilizados deverá melhorar muito os diagnósticos médicos.

- Promover eventos, agregar pessoas, compartilhar informações e investir (sempre) em educação é fundamental para melhorar a medicina no Brasil.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton