Incêndios florestais na Austrália equivalem aos de 100 nações juntas

Por Ethevaldo Siqueira, com MIT
14/01/2020 - A situação é dramática. Os incêndios florestais que se alastram ao longo da costa leste da Austrália já lançaram cerca de 400 milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono para a atmosfera, alimentando ainda mais as alterações climáticas que se intensificam com os incêndios do país, relata James Temple, do MIT Technology Review.

Os incêndios na Ilha Kangaroo, na Austrália, produziram densas nuvens de fumaça / Crédito: Imagens observatórias da Terra feitas por Lauren Dauphin, usando dados Landsat, da pesquisa geológica da NASA, nos EUA

Isso é mais do que o total combinado de emissões anuais dos 116 países com mais baixas. Também acrescenta-se a cerca de três quartos das emissões de gases de efeito estufa da Austrália em 2019. Embora não seja uma quantidade sem precedentes neste momento do ano na Austrália, as emissões estão muito além dos níveis típicos em Nova Gales do Sul, onde os incêndios deste ano estão concentrados.

Um ciclo vicioso: Com o aumento da temperaturas e a diminuição das chuvas, o solo, as árvores e as plantas em geral se tornam secas em sua folhagem e amplificam ainda mais os incêndios. Estes enormes incêndios alimentam, por sua vez, as alterações climáticas. Leia a história completa.

Saiba mais aqui:

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton