A China já ganhou a corrida mundial de 5G, diz Financial Times

Por Chris Nuttall, do Financial Times, com tradução de Ethevaldo Siqueira
08/11/2019 - As ações da Qualcomm subiram 8% hoje depois que esse fabricante de chips sem fio dissipou algumas das preocupações sobre os efeitos da guerra comercial dos EUA com a China e ataque à Huawei poderiam causar à empresa. Os resultados para o último trimestre de seu ano fiscal foram maiores do que o esperado, com receitas de US$ 100 milhões acima das expectativas, graças aos resultados de seu negócio de licenciamento de tecnologia.

"China já ganhou a (corrida da) 5G," diz Eric Ross, estrategista principal de investimento da Cascend Securities"

"Nossa tecnologia e invenções – diz a Qualcomm – nos deixam extremamente bem posicionados à medida que se acelera a implantação do 5G em 2020", conforme os resultados de uma pesquisa encomendada pela empresa de pesquisa IHS Markit. Esse estudo elevou as previsões para a atividade global de vendas de 5G em 2035 para US$ 13,2 trilhões, quase US$ 1 trilhão acima da estimativa de 2017, que era $12,3 trilhões "devido à conclusão antecipada do padrão 5G inicial e à subsequente implantação acelerada".

No entanto, devem existir preocupações para os EUA e para a Qualcomm sobre seu acesso ao mercado chinês, à medida que as tensões comerciais continuam, assim como por não ter recebido quaisquer royalties devidos por conta das vendas dos principais produtos da Huawei em seu último trimestre.

A Huawei, que espera aumentar as vendas de telefone em até 25 por cento na China este ano, também está fazendo progressos na redução de sua dependência de componentes dos EUA. Nesse sentido, sua unidade de chips HiSilicon desenvolveu o chipset Balong 5000 para seu primeiro telefone 5G.

A maior parte desse "lançamento acelerado" está chegando na China, onde todas as três operadoras de telefonia móvel lançaram comercialmente serviços 5G na semana passada, no maior mercado de smartphones do mundo. Até o final de 2020, segundo estima Qualcomm – serão implantadas 1 milhão de estações base 5G na China – ou seja, 10 vezes a escala de um grande operador de redes dos EUA.

"China já ganhou a (corrida da) 5G," diz Eric Ross, estrategista principal de investimento da Cascend Securities. "Ela está muito à frente dos EUA na implantação, explica ele. Faz uso muito mais eficiente do espectro e está dando às empresas chinesas o mesmo tipo de vantagem do tipo "first-mover", que a Amazon e o Google tiveram quando os EUA lideraram com o desenvolvimento da internet.

O parceiro de pesquisa da Qualcomm concorda com a importância da tecnologia: "Como a eletricidade e o motor a vapor antes dela, a IHS Markit vê o 5G como um elemento catalisador que empurrará a tecnologia móvel para o reino exclusivo de "Tecnologia de Propósito Geral". Isso significa que ela está conduzindo a próxima revolução industrial, e China tem a direção em suas mãos.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton