Uma carta de Drummond feita especialmente para as telefonistas

Por Ethevaldo Siqueira
08/10/2019 - Em junho de 1972, eu trabalhava como assessor de comunicação da antiga CTB (Companhia Telefônica Brasileira), empresa em fase de profunda renovação técnico-administrativa.

Para celebrar condignamente o Dia da Telefonista, 29 de junho, encomendei ao grande poeta Carlos Drummond de Andrade, uma crônica especial de cumprimentos e reconhecimento pelos extraordinários serviços que essas mulheres prestavam a Humanidade.

Telefonistas que faziam as ligações nos primórdios da telefonia estão retratadas em fotos guardadas no Museu das Telecomunicações

Recebi o texto, e pedi a Delson Siffert, então diretor da CTB-São Paulo, que autografasse um exemplar para que copiássemos para ser distribuída a cada uma das 500 telefonistas que trabalhavam no serviço interurbano da CTB. Foi, talvez, a mais bela festa que organizei para homenagear essas mulheres maravilhosas.

Tenho ainda o original datilografado e assinado pelo grande poeta. O resultado está aqui abaixo. Vejam a maravilha de texto de Drummond.

carta_amiga_invisivel.jpg

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton