Três ganhadores do Nobel de Física 2019 no campo da astronomia

Por Ethevaldo Siqueira
09/10/2019 - Achei magnífica a cobertura dos grandes jornais sobre o Prêmio Nobel de Física de 2019, concedido no dia 8 de outubro a três cientistas, em especial a do jornal Le Monde. Dois dos ganhadores — Michel Mayor e Didier Queloz — pela descoberta do primeiro exoplaneta. O terceiro, o canadense James Peebles, físico teórico que estabeleceu as equações que regem a evolução do Big Bang até os dias atuais – talvez eu venha a comentar no futuro.

Michel Mayor (à direita) e Didier Queloz (à esquerda) receberam o Prêmio Nobel de física pela descoberta pela descoberta do primeiro exoplaneta / Crédito: Laurent Gillieron / AP

Falemos agora de Michel Mayor e Didier Queloz, suíços, o primeiro nascido em 1942, e o segundo em 1966, que enfrentaram o ceticismo do mundo científico ao anunciarem a descoberta do primeiro exoplaneta (planeta fora do Sistema Solar) – no caso, um planeta gigante que gira nas imediações da 51 Pegasi b, estrela na Constelação de Pegasus.

Alguns astrônomos no mundo duvidaram e chegaram a afirmar – como o americano Alan Boss – que “exoplanetas não poderiam existir”. Hoje, a NASA reconhece a existência de mais de 4.000 exoplanetas.

nobel_2019_a.jpgJames Peebles, Michel Mayor e Didier Queloz, prêmios Nobel de Física, em um desenho distribuído pela Fundação Nobel


A Via Láctea vista através do Observatório Europeu do Sul (ESO), em La Silla, no Chile.

Saiba mais aqui

Matéria atualizada dia 09/10/2019 às 10h14

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton