Nebulosa NGC 4921 é “anêmica” porque tem poucas estrelas

Por Ethevaldo Siqueira, com APOD da NASA
17/05/2019 - Conhecida pela designação astronômica de NGC 4921, essa magnífica nebulosa espiral tem sido informalmente apelidada de anêmica, por causa de sua baixa taxa de formação de estrelas e seu baixo brilho superficial. São visíveis na imagem em destaque, a partir do centro: um núcleo brilhante, uma barra central brilhante, um anel proeminente de poeira escura, clusters azuis de estrelas recém-formadas, várias galáxias complementares menores, galáxias não relacionadas no Universo distante, e, mais além, estrelas não relacionadas em nossa Via Láctea.

Essa magnífica nebulosa espiral tem sido informalmente apelidada de anêmica, por causa de sua baixa taxa de formação de estrelas e seu baixo brilho superficial / Crédito: NASA, ESA, Hubble; Processamento & Copyright: Kem Cook (LLNL) & Leo Shatz

Os astrônomos dizem que é muito importante saber como calcular a distância que estamos dessa a galáxia espiral NGC 4921. Embora se estime atualmente que ela está a cerca de 300 milhões anos-luz de distância, uma determinação mais precisa poderia ser associada à sua velocidade de recessão, conhecida por ajudar a humanidade a calibrar melhor a taxa de expansão de todo o Universo visível.

Com esse objetivo, várias imagens foram tiradas pelo Telescópio Espacial Hubble, a fim de ajudar a identificar pontos marcadores de distância estelar, como ponto-chave para conhecer estrelas variáveis, como Cepheid. Sendo a NGC 4921 integrante do aglomerado de galáxias Coma, refinar sua distância também permitiria uma melhor determinação da distância para um dos maiores aglomerados próximos no Universo local.

Saiba mais aqui:

 

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton