Será o Hulk? Não, a luz verde brilhante no céu noturno é um cometa

Por Adam Mann, do portal Live Science, com tradução de Ethevaldo Siqueira
08/08/2018 - Um gigantesco cometa de cor verde está abrindo caminho pelo céu noturno, levando algumas pessoas a apelidá-lo de "O Incrível Hulk". O corpo celeste fez ontem, 7 de agosto de 2018, sua maior aproximação da Terra, segundo a revista Sky and Telescope. Esta é provavelmente a primeira vez que o cometa já ingressou nos domínios do Sistema Solar.

O brilho verde no céu não é, infelizmente, o Incrível Hulk / Crédito: Ciência ao vivo / Shutterstock

Oficialmente conhecido pela designação sem charme de C/2017 S3, o cometa foi descoberto em 23 de dezembro de 2017, pelos telescópios PanStarrs, localizados em Haleakala, no Havaí. O cometa, como uma rocha espacial verde, já provocou nos observadores do céu algumas reações surpreendentes, com explosões brilhantes que apareceram em sua superfície duas vezes seguidas – primeiro em 30 de junho, e novamente cerca de duas semanas depois, segundo relataram os sites Sky e Telescope. Como o próprio Hulk poderia dizer: "Cometa pisca (flash)!"

Tais explosões luminosas são comuns em cometas, embora sua causa real seja desconhecida. Por muitos anos, os cientistas pensaram que elas ocorressem quando um cometa deixava seu lar gélido para além de Plutão e mergulhava em direção ao Sol, aquecendo sua superfície e criando pressões que levariam a explosões semelhantes a gêiseres.

Mas observações do Comet 67P pela espaçonave Rosetta, sugeriram que deslizamentos de terra na superfície íngreme do cometa causam poeira e outros materiais que voam para o espaço, informaram os redatores do site Space.com, que pertence à Live Science.

Seja qual for sua origem, a segunda erupção do C/2017 S3 criou uma enorme nuvem de gás em torno do objeto gelado, com quase o dobro do tamanho de Júpiter, algo como 260.000 quilômetros de diâmetro, segundo o astrônomo amador austríaco Michael Jäger.

Sua tonalidade esverdeada é o resultado de moléculas de cianeto e carbono sendo aquecidas pelo Sol e se tornando ionizadas, ou seja, quando seus elétrons e prótons são separados um do outro, causando um brilho característico, segundo relatou Brian Koberlein, um astrofísico do Rochester Institute of Technology, em Nova York, em seu blog.

Algumas reportagens citaram um cientista russo afirmando que o alegre cometa verde talvez venha a causar algumas reações apocalípticas na Terra. Mas, não se preocupe! Tal como Hulk, seu homônimo de super-herói de pele verde, o C/ 2017 S3 é muito mais manso e benigno do que parece. Por sua vez, o astrônomo russo Stanislav Short, da estação astronômica Tau, disse que o cometa não representa perigo e que tais objetos passam pelo nosso planeta o tempo todo sem incidentes.

A previsão dos astrônomos era de que C/2017 S3 tenha passado a cerca de 112 milhões de quilômetros da Terra no ponto mais próximo de sua trajetória. O cometa estará então se deslocando direção ao Sol, e só vai girar em torno de nossa estrela central no dia 16 de agosto, voltando em seguida para os confins distantes do nosso Sistema Solar.

Neste momento, o cometa estará muito próximo do Sol para ser visível, mas poderá ser visto no final de agosto, depois que contornar o Sol e fizer sua volta, disse ao portal Live Science Paul Chodas, o gerente do Centro de Estudos de Objetos Próximo da Terra no Jet. Laboratório de Propulsão.

Saiba mais aqui:

 


Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton